Páginas

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Entrevista Exclusiva com Lucas Broch

Por Aprendiz Coelhocratas

Lucas Broch foi o quinto demitido do Aprendiz, o Retorno. Nesta entrevista exclusiva ele conta que já esperava ser chamado para a edição e que sua participação valeu a pena.

Ele comenta ainda sobre o relacionamento com Guilherme Séder, com quem protagonizou cenas de discussão nas salas, comenta sobre as duas edições que participou e polemiza sobre um fato marcante da temporada: "Achei que o Roberto foi muito bonzinho em permitir que um aprendiz violasse uma das principais regras do programa, que é o confinamento."


Confira a entrevista!


(Kelvyn Holanda e Aprendiz Coelhocratas) Qual a tua reação ao ser convidado para O Aprendiz - O Retorno? Aceitaste imediatamente? O que mais te motivou a retornar? Valeu a pena?

(Lucas Broch) Oi Kelvyn! Confesso que quando li uma reportagem falando da volta do Aprendiz e do Roberto Justus, eu já esperava ser chamado, sou um pouco sensitivo, e desde minha saída do Aprendiz 6 aguardava uma oportunidade de mostrar meu trabalho novamente. Pra mim valeu a pena, fiz novas amizades, sofri uma pressão enorme, e, principalmente, amadureci.


(Julio Silveira, adaptada por Aprendiz Coelhocratas) Você acha que teve melhor desempenho no Aprendiz Universitário ou O retorno? Faria algo diferente?

(Lucas Broch) Olha Júlio eu acho que no Aprendiz Universitário fui mais incisivo nas tarefas e mais "tímido" na sala de reunião, neste ano, acredito que acabei fazendo o contrário, fui incisivo nas salas e faltou um pouco de imposição e ênfase na hora de colocar as minhas ideias nas tarefas. Com certeza, me colocaria com maior ênfase nas tarefas se eu tivesse outra oportunidade, acredito que foi isso que faltou pra eu conseguir ir mais longe.

(Daniel Simões) Lucas, seu relacionamento com o Guilherme Séder tiveram trocas de farpas. Qual é o motivo deste acontecimento? Opiniões fortes, opiniões divergentes ou a edição do programa?

(Lucas Broch) O motivo principal foi a polêmica da caixa, onde ele jogou a responsabilidade pra mim e eu pra ele. E na verdade mesmo, o que ocorreu foi uma falha na nossa comunicação, onde nenhum dos dois se responsabilizaram pelo objeto.


(Bruno Massami) A Maytê tem sofrido uma série de críticas do público. Qual é sua opinião sobre ela? Você acredita que a mesma está sendo protegida pelo Justus nesta edição?

(Lucas Broch) Ela á uma menina muito inteligente e que, com certeza, terá um futuro brilhante pela frente. Acredito que ela está sabendo se defender bem nas salas de reunião e é isso que faz com que ela permaneça no programa.


(Aprendiz Coelhocratas) Na prova anterior a saída percebi que você poupou de indicar a Maytê e ela não te poupou na tarefa seguinte, mesmo você sendo o único a ter indicado um erro que poderia ter salvado sua equipe. O que você acha disso? Acha que foi traído de certa forma?

(Lucas Broch) Ela poderia ter levado qualquer outra pessoa da minha equipe, acho que ela tomou essa decisão pelo forma de como a sala de reunião estava sendo conduzida, com o RJ levantando que eu deveria ter me imposto com maior ênfase. Não me sinto traído pela Maytê.


(Everton Lima) Lucas, gostaria de saber como você avalia suas duas demissões, tendo em vista que foram demissões que geraram opiniões diversas do público e aqui fora você aparentemente tinha uma torcida grande. Você realmente considerou a segunda demissão coerente como já disse em uma entrevista?

(Lucas Broch) Minha primeira demissão foi injusta Everton, eu tinha performance muito superior do que a Rebeca em 2009. Na demissão deste ano, até pela sequência de derrotas que eu acabei tendo dentro do programa, o Roberto tinha motivos pra demitir qualquer um da nossa equipe, naquele programa acabei sendo o escolhido. Não achei a demissão injusta, assim como também nao seria se ele demitisse a Mayte ou a Mariana, que tinham perdido todas as tarefas disputadas.


(Jadre Junior) Você foi indicado pelo Walter Longo para ser demitido nas duas salas de reunião do Aprendiz 6 e nas duas salas de reunião do Aprendiz - O Retorno nas quais você foi indicado para a segunda fase da sala de reunião. O que você acha que motivou o Walter Longo a sugerir a sua demissão nessas 4 ocasiões? Você acha que ele tem algum tipo de implicância com você? Como era a sua relação com o Walter Longo durante as tarefas e nos bastidores do programa?

(Lucas Broch) Não tenho nenhuma implicância com o Walter, acho ele um profissional excepcional, muito inteligente e sempre tive uma boa relação com ele. Como sou um professional da área comercial, bastante tático, acredito que não faço o perfil que mais agrada o Walter.


(Bruno Massami e Everton Lima) Gostaria de saber se você percebeu algum tipo de protecionismo, favoritismo, maiores chances de ficar, tratamento diferenciado, como queira chamar, para algum dos aprendizes desta edição, partindo seja de onde for (conselheiros, Roberto, produção, edição, outra equipe fora das câmeras, etc). Tendo em vista que o público têm comentado sobre essa questão, gostaria de ouvir a opinião de alguém que efetivamente estava lá.

(Lucas Broch) O fato que mais me chamou a atenção foi o Roberto ter mantido a Mel no jogo, mesmo com a visita e contato com a mãe e marido durante o programa. Achei que o Roberto foi muito bonzinho em permitir que um aprendiz violasse uma das principais regras do programa, que é o confinamento.


(Everton Lima) Lucas, quais são seus pontos fortes e fracos em trabalho em grupo? Você prefere trabalhar sozinho ou em grupo?

(Lucas Broch) Everton, acredito que como pontos fortes, posso dizer que sou comunicativo, audacioso, busco soluções fora da caixa, motivador, extremamente positivo e tenho facilidade de relacionamento com outras pessoas. Prefiro trabalhar em grupo quando todos possuem funções e objetivos bem definidos, é muito importante receber feedbacks e opiniões de outras pessoas para o crescimento de qualquer profissional.

(Adailton César Júnior) Lucas, você fez parte da equipe Flecha - esta vem de cinco derrotas seguidas. Na sua visão essas derrotas estão relacionadas ao fato de todos estarem, na maior parte das tarefas, de acordo com a primeira ideia sugerida, sem contestar e propor outras possibilidades?

(Lucas Broch) Olá Adaílton, na verdade a equipe flecha havia vencido 2 tarefas e perdido 3, todas em sequência. Acredito que essas derrotas estão muito ligadas com a nossa vontade de fazer o novo,  buscar alternativas criativas e fora do senso comum, e acabaram sendo esses os nossos principais problemas. Como o tempo das tarefas estava muito curto, era ainda mais difícil colocarmos em prática uma ideia inovadora, fora da caixa.

Obrigada pela entrevista, Lucas! 

Um comentário:

Douglas Sulzbach disse...

Não gostei muito da demissão dele, ele era um forte candidato e via-se profissionalismo nele, embora reconhecendo que faltou mais exposição, vontade e defesa nas salas de reunião. Na edição passada em que participou, ele era um dos favoritos, tinha personalidade, foco, criatividade e flexibilidade, mas o Roberto optou por demiti-lo no lugar da Rebeca (que curiosamente pediu demissão no programa seguinte). Dessa vez, comparado aos atuais candidatos, via-se que ele era mais fraco, deixava a coisa andar sem apresentar argumentos claros por sua defesa. Mesmo que o Roberto tivesse eliminado outro participante naquela noite, o Lucas não ia muito longe, era só questão de tempo, o mesmo penso da Renata e do Solano, eles não são "brigões", não se impõem, e isso é muito nocivo.