Páginas

domingo, 4 de maio de 2014

O vilão da vez

Por Luiz Gustavo Cristino


Em uma semana em que eleger um grande destaque positivo é uma tarefa extremamente árdua, resta apenas ir para o outro lado do espectro e buscar a performance mais negativa entre todas as bobagens que vimos sendo feitas na segunda tarefa. E, a meu ver, o dono dessa performance é ninguém mais e ninguém menos que Nahim, nosso líder dorminhoco.

Estou extremamente arrependido de ter reclamado da soneca do cantor, já que acordado ele faz muito mais estrago. Nahim pode ser um cara proativo e que faz diferença, e está bem longe da falta de sal do demitido Kid Vinil, mas o problema é que, em vez de usar seu estilo agressivo e sua experiência de vida como diferenciais competitivos para a equipe Next, prefere colocar seu ego à frente do trabalho e destacar-se como o principal elemento desagregador de uma equipe do Aprendiz Celebridades.

Em primeiro lugar, Nahim irrita naturalmente. Ao longo do desempenho de Christiano Cochrane na "prova do exército" (que, de tão bobinha, decepcionou até a mim, que sou totalmente contra esse formato de tarefa), o falatório "motivacional" do aprendiz foi de torrar a paciência, ao ponto de eu ter seriamente cogitado deixar a TV no mudo ao longo do percurso do líder da Next. E, como todo bom ególatra, Nahim ainda teve a cara de pau de tentar colher os louros da vitória de Christiano, como se sua motivação tivesse sido o grande diferencial que levou o líder a esse resultado favorável.

E é justamente essa aparente mania de achar que absolutamente todas as suas ideias e atitudes são o supra-sumo da temporada que dificulta todas as relações de Nahim, seja na dinâmica da equipe Next, seja na imagem que ele passa para o telespectador. O cantor tem muita dificuldade de ouvir a equipe quando a discussão não gira em torno de uma ideia dele mesmo, e mais dificuldade ainda de ser contrariado quando faz uma sugestão. Vejam bem, eu concordo 100% com Nahim quando ele diz, por exemplo, que trocar uma coisa por outra de menor valor é estupidez, mas a questão toda é a maneira como ele se coloca, é sua postura diante do restante da equipe.

Nada é mais difícil do que trabalhar com uma pessoa desagregadora, que tem, acima de tudo, algum motivo obscuro para desejar o seu fracasso. E, aqui, minha simpatia vai para Christiano Cochrane, que, apesar de ter se enrolado em alguns aspectos da tarefa, conseguiu levar a equipe e o ego de Nahim mais longe do que muita gente boa daria conta de levar. Nahim, a meu ver, foi um baita sabotador da Next, o tipo do cara que, conscientemente ou não, dissipa toda a boa energia que o cerca e transforma o trabalho em algo muito mais árduo do que ele poderia ser normalmente. E eu acabo concordando com Christiano quando ele diz que o desempenho de uma equipe cai quando ela precisa gerenciar alguém assim ao longo de muitas horas de trabalho.

A impressão que fica é de que toda essa história foi causada simplesmente porque Nahim ficou com o orgulho ferido após ter seus planos de liderar novamente barrados pela "candidatura" de Cochrane ao cargo. Ali, Nahim já deixou claríssimo que está jogando individualmente e que o seu lema no Aprendiz passará muito longe do espírito de equipe.

Mas nada, nada mesmo, me incomodou mais esta semana do que ver tanta gente dizendo na sala de reunião que Nahim é um bom líder, que Nahim teve um bom desempenho na primeira tarefa. O cara passou quase todo o período de execução da tarefa dormindo, reclamou de receber ligações e venceu por uma diferença bem menor do que os 50% de vantagem que havia recebido inicialmente. E, quando até mesmo Renato Santos cai nessa incompreensível armadilha de afirmar que o desempenho de alguém é muito melhor do que ele realmente parece ter sido, algo está seriamente errado com o programa.

Não é surpresa, porém, que, em um embate entre o cantor e o filho da maravilhosa Marília Gabriela  (que deve ter ficado de cabelo em pé caso tenha visto o rebento pronunciar "beneficiente") tenha respingado no aparentemente mudo Kid Vinil na sala de reunião. Conhecendo o estilo de Roberto Justus como conhecemos, era possível prever a anos-luz de distância que tanto Nahim como Christiano permaneceriam no programa. Eu compro totalmente a ideia de que Justus demita perfis apagados porque prefere segurar alguém a empurrar alguém, mas, mesmo que não comprasse, Nahim e Christiano mostraram claramente que são importantes para gerar audiência para o programa, e seríamos muito ingênuos se acreditássemos que o potencial de audiência do participante não influencia as demissões. Se não fosse o caso, Maytê Carvalho não teria passado muito mais tempo no Aprendiz, o Retorno do que deveria quando analisamos unicamente seu desempenho nas tarefas (e eu não acho isso nem um pouco ruim, já que, para o bem e para o mal, a moça se jogava de corpo e alma no Aprendiz e nos garantiu um baita de um show de TV!). Sinto que Nahim é a Maytê da vez, mas a diferença é que, enquanto Maytê divava e nos enchia de memes e hashtags para usarmos por aí, Nahim até o momento só conseguiu nos irritar, mesmo.

Assim, nada disso significa que eu discorde da demissão de Kid Vinil (sobre a qual, aliás, quase ninguém falou depois do programa de quinta, de tão interessante de assistir que Kid vinha sendo). Nesse formato com "celebridades", nada é mais importante do que participantes comprometidos com o programa, independentemente de como esse comprometimento afete o resultado e os ânimos do restante do grupo. E isso, meus caros, Nahim tem de sobra! Resta saber se o cantor conseguirá reverter a situação e usar sua disposição para ir longe ou se continuará se afundando no próprio ego.

SOBE

- Ana Moser


Como previsto, Ana é focada, séria e entende do que diz. Foi quem fez a melhor troca da semana, a das três bolsas de treinamento correspondentes ao valor de R$ 120 mil. Além de tudo, foi ela (e não Nahim, que inicialmente havia tentado colher os louros pela objeção) quem levantou a possibilidade de a troca pela campanha publicitária de Sabrina Sato não ter valor para a tarefa por se tratar de um bem intangível.

- Amon Lima

  
Mesmo tendo vencido aos trancos e barrancos, o fato é que ele ganhou. E saber se posicionar, mostrar serviço e adicionar uma liderança vitoriosa ao seu histórico depois da acusação de apatia na primeira tarefa pode fazer muita diferença.

DESCE

- Terceiro conselheiro

Uma ideia que poderia ter sido útil e interessante, mas acabou se perdendo porque, diante do formato do programa de terça-feira, a opinião do público acaba sendo dada sem que tenhamos visto sequer um minuto de tarefa.

- Cacá Rosset


Vamos ver quantos degraus Cacá ainda vai descer neste espaço. Agora, o conselheiro não está simplesmente prolixo, está também ocupando tempo da sala de reunião com comentários no Twitter do nível "Quero dar uma voadora no Nahim". Why, God, why???


4 comentários:

Felipe Jerez disse...

Luiz, parabéns (de novo), estou achando muito bom acompanhar seus textos sobre o programa aqui e no Série Maníacos, mas tenho que dizer que acho muito legal a forma como você consegue apresentar trabalhos tão distintos aqui e lá.
Agora chega de elogios, senão o autor fica metido!
Sobre essa semana, sempre achei o Nahim um mala (sem alça - como ele gosta de destacar), mas tenho que admitir que não achei ruim o fato de continuar na disputa, afinal o Kid Vinil nem aparecia e acredito que o Nahim não vai ganhar, então que fique para que o jogo continue movimentado (mas não por muito tempo, por favor).
Quando assisti a prova do líder fiquei pensando em como teria sido engraçado ele fazendo, já que queria tanto ser líder novamente.
Ana com certeza está entre os favoritos e Cacá vai ter que arranjar uma pá para começar a cavar, porque deve continuar descendo e descendo...

Anônimo disse...

Paulo Jeff

Para sua review ficar perfeita só faltou dar um SOBE para a Betinha,sério,nessa tarefa ela teve atitude ao realizar uma das melhores trocas da Fênix (a do carro),apesar do seu momento "Nahim" quando desdenhou da ideia do Boesel em trazer o Chitãozinho e Xororó("Quer apostar quanto que ele não vai conseguir?" huahuashuahuashua),se ela está brincando de Aprendiz,então está levando à sério a brincadeira.
Agora quem desceu mais ainda comigo foi o Cristiano,God que ideia foi aquilo de listar todas as provocações do Nahim e relatar na sala de reunião?quanta imaturidade gente,parecia um pirralho querendo dedar o coleguinha pra tia do jardim de infância,sério,ridículo.
Agora sei que não preciso assistir mais aos programas de terça feira,pois vai ser só ENROLATION com uma desnecessária prova do líder em que os aprendizes vão se matar para ganhar uma vantagem que eles mesmos vão tornar inútil(vide a tarefa da feira),tortura corporativa em subsubsubcelebridades só na quinta mesmo.

Luiz Gustavo Cristino disse...

Obrigado pelos coments, pessoal!

Felipe, eu também fiquei imaginando outros possíveis líderes (imagina Bethinha?) nessa prova do exército, teria sido tão mais legal! hahah.

Paulo, eu só não dei um SOBE para Bethinha justamente por causa do lance que você pontuou, de meio que "torcer contra" a própria equipe. Pra mim, esse ponto negativo cancelou o ponto positivo que foi o desempenho (realmente ótimo) dela na tarefa.

Abs, e obrigadão mesmo!

Chay Correia disse...

Conheci o blog agora e gostei bastante, apesar de eu amar o Nahim, respeito quem não gosta e concordo com algumas das coisas que foram faladas a seu respeito. Parabéns pelo blog.